Uyatã Rayra narra invasão extraterrestre em Feira de Santana em novo single



A história inusitada de um extraterrestre que tem a nave avariada no espaço aéreo de Feira de Santana (BA) e se vê obrigado a fazer um pouso de emergência é o ponto de partida do single “Cordel da Caixa D’água”, de Uyatã Rayra. A canção foi lançada em agosto de 2021, nas plataformas de música, por meio do selo Banana Atômica.

Após o pouso forçado, o ET deixa a nave no Tomba – bairro célebre da cidade – e começa a sua empreitada em busca de uma peça para consertá-la: Feira do Rolo, Feiraguay, Feira do Rato e Rua da Aurora são alguns dos pontos por onde passa o forasteiro de outro mundo. 

“Para além de pensar a história do ET no campo da ficção cômica, a ideia foi construir uma fábula sobre a essência comercial feirense. Mas, não só... Feira é uma hospedaria passageira e perene, uma encruzilhada do mundo”, explica o cantor e compositor.

A Caixa D’Água do Tomba é um símbolo emblemático da cidade localizada no agreste baiano, há pouco mais de 100 km de Salvador. “Ela tem o ‘status’ de uma Torre Eiffel. A sua anatomia octogonal lembra uma grande nave espacial. Desde criança criei e escutei histórias fantásticas sobre ET’s que habitavam a Caixa D’Água do Tomba. Soma-se a isto ‘O caso Feira de Santana’”, conta o artista, se referindo a um antigo relato reconhecido na ufologia brasileira sobre a queda de um OVNI na cidade na década de 90.

Do ponto de vista sonoro, o novo single foi construído a partir de experiências musicais que tomaram como base elementos rítmicos e poéticos da cultura nordestina, como o repente, coco de embolada, forró de rabeca e as bandas de pífanos. Estes elementos se revelam principalmente no canto, nas melodias da flauta, no triângulo e no pandeiro.

A composição, parceria de Uyatã Rayra e do produtor musical Pedro Patrocínio, não foi construída obedecendo a estrutura característica do cordel. Ainda assim, a narrativa poética é totalmente influenciada pela literatura de cordel, tendo como marca o humor, o sarcasmo e a ironia, além do uso de gírias popularmente conhecidas na região.

Cordel do Cordel

O “Cordel da Caixa D’água” também será lançado em formato de livreto ilustrado. “Não lançamos a música antes, pois encasquetei que a história era tão lombreira, que merecia um livreto ilustrado. Daí, bati o pé que a canção só seria lançada junto com o livro finalizado”, disse Uyatã.

O trabalho é resultado de uma parceria do artista com o ilustrador Siddhartha Gautama (também autor da capa do single), com produção gráfica de Yohanna Marie. O arquiteto e artista plástico feirense Juraci Dórea e o gravurista pernambucano Gilvan Samico foram as grandes referências no processo criativo.

O projeto tem apoio financeiro da Prefeitura de Feira de Santana através da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer via Lei Aldir Blanc, direcionado pela Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.



FICHA TÉCNICA

Uyatã Rayra: Voz, coro, cavaquinho, violão sintetizador

Pedro Patrocínio: Voz, coro, baixo, cavaquinho, violão, sintetizador

Brenus Tsokas: Pandeiro, triângulo, clave, ganzá

Maiara Carmo: Coro

Letícia Peixinho: Coro

Lucas Pereira: Bateria

Nilton Azevedo: Flauta

Composição: Uyatã Rayra e Pedro Patrocínio

Produção musical e arranjos: Uyatã Rayra e Pedro Patrocínio

Captação externa: Uyatã Rayra

Mixagem e masterização: Pedro Patrocínio

Técnicos de gravação: Pedro Patrocínio (Estúdio Boca de 09); Anselmo Roberto (Via Sonora) e Flávio Santos (Stúdio ORC)

Produção executiva: Uyatã Rayra.

Capa:  Siddhartha Gautama

Animação da capa (YouTube): Don Guto

Distribuição: Banana Atômica

Gravado entre maio de 2018 e maio de 2021 nos estúdios Boca de 09, Via Sonora (coros femininos) e Stúdio ORC (flautas).


Redação | ASCOM


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial