MUSA Festival lança exposição virtual 'Mulheres nas Artes Visuais'


O site do MUSA Festival, iniciou nesta terça (16) a exposição “Mulheres nas Artes Visuais” com obras das artistas Ana Reis (fotografia), Cida Porto (ilustração e pintura), Joy Freitas (fotografia) e Simone Rasslan (pintura). O lançamento aconteceu através de uma roda de conversa ao vivo entre as artistas, mediada pela jornalista Lorena Porto, e que ainda está disponível no YouTube do Culturasss.

A iniciativa integra o projeto “MUSA - Festival de Artes Integradas para Mulheres de Feira de Santana” realizado pelo Coletivo Culturasss, com o apoio financeiro da Prefeitura de Feira de Santana através da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer via Lei Aldir Blanc, direcionado pela Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Saiba mais sobre as Musas- artistas visuais


Ana Reis, fotógrafa

Nasceu no sertão baiano, é graduada e mestra em História pela Universidade Estadual de Feura de Santana (UEFS) e técnica em Fotografia pelo Senac. Atua como oficineira de Fotografia do Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA) desde 2018, como professora da rede municipal de ensino de Feira Santana e também na militância feminista pelo Coletivo de Empoderamento de Mulheres FSA @colemfsa. Através do seu trabalho na fotografia, busca compor uma poética visual tecida por narrativas de si, que são atravessadas por questões como identidade, território, corpo, casa, memórias, o refazer de si e as conexões entre sensações e vivências compartilhadas por tantas  mulheres, sensações que são significadas e ressignificadas em suas construções imagéticas. Parte expressiva de sua obra é realizada por meio de autorretratos, ressaltando a potência que é utilizar o seu próprio corpo como forma de expressão. 


Cida Porto, ilustradora e pintora

Feirense, Cida se vê nas artes visuais desde criança quando desenhava no chão ou nas paredes da sua antiga casa no bairro Conceição II. Em 1999, estudou Desenho de Observação no Centro Universitário de Cultura e Arte com Jorge Galeano e Cida Vasconcelos. Em 2005 já era professora de desenho do CUCA, onde segue atuando até hoje. Estudou Artes Visuais na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (UFBA) em 2003. Participou de Oficina de Graffiti no Espaço Solar e colocou nas paredes da cidade suas bonequinhas estilizadas de cílios marcantes e cabelos coloridos que tanto amava desenhar em seu tempo livre entre trabalhos e encomendas. Em 2019, começou a trabalhar no Centro Cultural SESC Feira de Santana como instrutora de artes visuais; participou da exposição “Várias Vozes Visuais” no SESC em julho; participou da exposição "Raízes no Museu de Arte Contemporânea” em novembro. Durante a pandemia, segue facilitando oficinas online nas instituições SESC e CUCA; grafitando; e atendendo aos pedidos de ilustrações diversas.


Joy Freitas, fotógrafa

Joilma Freitas é feirense, administradora (UEFS) e iniciou na fotografia em 2013. É Associada ao Clube de Fotografia de Feira de Santana desde 2016, onde atualmente é presidenta (gestão 2019-2021); colaboradora na organização do Festival de Fotografia do Sertão (2017), da 2ª edição do Congresso Photofeira Conference (2018) e da III Mostra Coletiva do Clube de Fotografia de Feira de Santana (2018). Em 2015, participou da Oficina InSight Visual e Jornada de Fotografia de Rio Grande (RS). É Co-fundadora do Estúdio Fenda, onde desenvolve a fotografia autoral como proposta cultural e social e, atualmente, desenvolve trabalhos com fotografias de família e ensaios femininos. No MUSA, Joy expõe uma série que retrata conflitos da autora desde as primeiras notícias de quarentena, cancelamentos de contratos e bloqueio criativo superado pela busca por sanidade através de autorretratos.


“Eu não pinto, eu danço, sinto a música e misturo as tintas”, conta Simone sobre o seu processo criativo que retrata muito do seu perfil artístico. Esse que é notadamente influenciado por todas as linguagens artísticas e performances que se envolve e, que, frequentemente, culmina em uma obra de arte visual. Na exposição do MUSA Festival, Simone apresenta a série “Ancestralidades”, inclusive com algumas obras inéditas feitas exclusivamente para o Festival. A artista carrega em seus quadros muito do seu olhar sobre o feminino sagrado e sobre o entendimento de que as pessoas e a natureza são um só corpo. 

“Sou uma árvore e um sopro entre as folhas; uma folha em branco e um ponto; uma estrela na Terra e um olhar no céu; sou o espaço entre as células; sou filha do sol e da lua; sou filha das libélulas e vagalumes; uma fada que transita pelo espaço misturando cores e movimentos; dançando ao som do vento; misturo minha música ao silêncio; e agradeço à Natureza por me deixar viver em seu corpo”, descreve Simone de maneira poética o seu fazer artístico.


 


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial