Com apoio da UFRB, Sociedade Filarmônica Cruzalmense grava especial de 110 anos

 A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) apoia a Sociedade Filarmônica Euterpe Cruzalmense no processo de formação e operacionalização do Programa Aldir Blanc Bahia, que culminou na gravação de um especial de 110 anos de existência da instituição – "Euterpe in Live. DOC" – filmado em parte, em frente ao prédio da Reitoria da UFRB, Campus Cruz das Almas, seguindo todos os protocolos sanitários, sem a presença de público.

O Projeto “Euterpe in Live.Doc” reúne ainda depoimentos sobre a história e o papel social da Filarmônica Euterpe Cruzalmense, durante seus 110 anos de existência. O produto será lançado no próximo dia 25 de fevereiro, quinta-feira, às 20 horas, no canal do YouTube da Sociedade Filarmônica Euterpe Cruzalmense, de acordo com a roteirista Taliane Oliveira. No momento, a produtora está “em fase de edição e finalização das imagens”.

O projeto "Euterpe in Live. DOC" foi contemplada por parte do edital do Programa Aldir Blanc Bahia, dentro da Categoria VI, de Música - ações em formatos livres de formação ou criação/produção ou difusão ou memória ou pesquisa desenvolvidas por bandas filarmônicas. Por isso recebeu o apoio financeiro do Programa Aldir Blanc Bahia, Fundação Cultural do Estado da Bahia, Secretaria de Cultura, Governo do Estado da Bahia, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Para ser possível a gravação do especial, a Sociedade Filarmônica Euterpe Cruzalmente contou com a parceria da Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT), Pró-Reitoria de Administração (PROAD) e da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da UFRB.

“A UFRB contribuiu com processos formativos para os gestores na operacionalização da Lei Aldir Blanc no Recôncavo Baiano neste momento de enfrentamento do novo coronavírus que atingiu a renda de trabalhadores da cultura”, descreve a pró-reitora de Extensão, professora Tatiana Velloso.

110 anos de fundação

A Sociedade Filarmônica Euterpe Cruzalmense é a primeira filarmônica de Cruz das Almas, cuja fundação data de 08 de setembro de 1910. Seu nome foi dado por Silvestre Mendes que lembrara do nome Euterpe, fazendo menção à Musa da Música.

Músico clarinetista e regente, Silvestre Mendes foi nomeado o primeiro presidente da Sociedade Filarmônica Euterpe Cruzalmense.

A Sociedade Filarmônica Euterpe Cruzalmense, foi fundada em 08 de setembro de 1910 por Silvestre Mendes, Júlia Eloy Passos, Victor Mendes, Nô Mendes, Antônio Pereira, Avelino Leal, Thiago Celestino de Souza, Cosme José Pereira, Protestado José dos Santos, Martiniano Correia, Roque Maia, Sizino Cintra, Deolindo Souza, Ignácio Gabino, Firmino C. dos Santos e Serafim B. dos Santos, sediada na cidade de Cruz das Almas, à rua J.B. da Fonseca, Nº 104, é reconhecida de Utilidade Pública Municipal e Estadual.

A monografia “A Sociedade Filarmônica Euterpe Cruzalmense: Sua Função Social Enquanto Espaço Educacional”, de autoria do estudante Rodolfo Ferreira Assunção, do Curso de Graduação em Museologia, do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) descreve o ensino da arte musical aos jovens Cruzalmenses e das cidades circunvizinhas, de forma inteiramente gratuita contribuindo de maneira especial, afastando os jovens de vícios como drogas e bebidas e dando a estes garotos uma autoestima e um senso de responsabilidade que promoveram a mudança da sua realidade social

“Ao longo de sua existência, inúmeros foram, os jovens que passaram pela sua Escolinha Musical e que hoje, como forma de homenagear o primeiro professor e Maestro denominamos de Escolinha Silvestre Mendes, os quais saíram formados, totalmente prontos para ingressarem no cenário musical. Dentre os quais, podemos destacar a figura do saudoso Maestro Norberto de Aquino (Xaxá) que, sob sua Regência elevou o nome da Banda de Irará a um lugar de destaque; o Tenente Carlos da Silva, ex-regente da Banda da Polícia Militar do 1º Batalhão, em Feira de Santana, BA, o Sr. Davi Santana, ex músico da Banda Sinfônica da UFBA e atual músico do Grupo Olodum, o Saudoso Sub tenente Everaldo Elias de Jesus, ex. regente da Filarmônica Euterpe, entre outros. Sem contar os 10 membros da instituição que integram as bandas musicais militares”, informa a monografia.

Nos últimos anos, passou a Filarmônica passou a abrir a Festa do São João de Cruz das Almas, fazendo uma apresentação de uma hora no palco principal do evento, tocando forró. Hoje a filarmônica ficou conhecida como a “Sinfonia do Forró”, a aceitação tem sido tão boa que já se apresenta também em outras cidades.

Ascom|UFRB

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial