Cinemateca da Bahia celebrou a memória de Walter da Silveira com exibição de filme e webinários no youtube

A Diretoria de Audiovisual da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Dimas/Funceb) e a Cinemateca da Bahia, marcaram nesta semana (3 a 5 de novembro) os 50 anos de morte do crítico de cinema Walter da Silveira.  A programação começou no último dia 25 de outubro, com a exibição do filme “A Grande Freira”, de Roberto Pires, na TVE.  Nos dias 3, 4 e 5 de novembro foram realizados os webinários denominados “Diálogos Audiovisuais (Ano II): o legado de Walter da Silveira”, com o objetivo de divulgar o legado de Walter da Silveira, cineasta, crítico de cinema, militante político, professor, historiador, cineclubista, ensaísta e advogado, formado pela Faculdade de Direito da Bahia em 1935. Para a coordenadora da Cinemateca da Bahia, Inajara Diz, “Walter da Silveira foi um agente fundamental na formação de cineastas e pesquisadores e pesquisadoras, bem como foi indispensável para o desenvolvimento do audiovisual na Bahia e no Brasil”.


Na terça-feira (3), houve o lançamento do livro “Walter da Silveira e o cinema moderno no Brasil” organizado pela professora da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Cyntia Nogueira. O livro foi editado pela Editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba) e lançado no webinário. Em sua palestra, a professora Cyntia Nogueira enalteceu a importância de Walter da Silveira no cenário do cinema moderno brasileiro: “Walter da Silveira tem uma honestidade crítica muito clara, mesmo com os filmes dos amigos, ele tinha um senso muito claro referente à crítica e ao seu potencial transformador”.

Na quarta-feira (4), a programação continuou com o tema “A crítica e os caminhos do cinema brasileiro: diálogos de Walter da Silveira com Alex Viany, Paulo Emílio Sales Gomes e Glauber Rocha". O debate teve mediação de Manuela Muniz (UNEB) e participações de Arthur Autran (Ufscar), Adilson Mendes (Anhembi/Morumbi) e Cláudio Leal (jornalista), que fizeram uma explanação da trajetória e da importância de Walter da Silveira, para o cinema de todo o Brasil. Artur Autran na sua palestra disse que “Walter da Silveira tem a sua militância intimamente ligada ao partido comunista do Brasil e no contexto da época vivia-se um momento muito importante para a cultura cinematográfica”, na sua palestra, Adilson Lemos pontuou que “o projeto de Walter da Silveira pretendia inserir o cinema local no cinema nacional”.

Já na quinta-feira (5), os debates se encerraram com o webinário “Walter da Silveira, o Clube de Cinema e a invenção do cinema na Bahia”, com a participação de Cyntia Nogueira (UFRB), Izabel Melo (UNEB) e Luís Alberto Rocha Melo (UFJF), que detalharam a história de Walter da Silveira. Izabel Melo pontuou: “Walter da Silveira tinha a preocupação de conceituar e preparar o público para os festivais”, o que reflete seu caráter humano. “Os webinários foram muito importantes para um maior conhecimento sobre o cinema na Bahia”, disse Milene Gusmão.

Durante os três dias de webinários, houve a participação de 200 pessoas (online) no Youtube, onde os debates ocorreram.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial