Encontro virtual sobre implementação da Lei Aldir Blanc foi articulado por agentes culturais com novo secretário de Feira


No primeiro dia de atuação do novo secretário de cultura de Feira de Santana (BA), Jairo Carneiro Filho, o Fórum Permanente de Cultura articulou reunião virtual para ouvir do gestor público quais as prioridades que ele pretende atribuir para a pasta. 

O encontro aconteceu na noite da última quinta-feira (16) e estiveram presentes trabalhadoras e trabalhadores da cultura de áreas diversas. Aloma Galeano, Elsimar Pondé, Kareen Mendes, Lorena Porto, Ludimila Barros, Maylla Pita, Raíssa Caldas, Uyatã Rayra, Viviane Macedo puderam se apresentar, descrever os objetivos e iniciativas do Fórum e dialogar sobre a implementação da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc Nº 14.017 de 29 de junho de 2020. 

Os agentes de cultura presentes avaliaram o encontro como positivo, apesar de reconhecerem a complexidade e os danos que uma troca de secretário de cultura traz para o momento atual. 

"É uma troca que acontece em um momento tão delicado como o que estamos passando, em plena pandemia, logo depois da aprovação de uma lei fundamental para o setor da cultura, momento de discussão, de resolver as formas de implementação da lei nos municípios e estados, principalmente para um município como Feira com um setor cultural tão grande, tão representativo e tão importante para todo e estado. Quando a gente troca gestor, a gente tem, muitas vezes, uma interrupção das políticas que estavam sendo tocadas, sem falar do processo de adaptação do novo gestor", explica a pesquisadora e ativista cultural Raísa Caldas.

A dispobibilidade e abertura para o diálogo do secretário Jairo Carneiro Filho também foi reconhecida. Mas ficou evidente a preocupação com ações efetivas, para além da narrativa política. Segundo o produtor cultural Joilson Santos, o ex-secretário Edson Borges também chegou na pasta com disposição para dialogar com a categoria, mas, na prática, não promoveu a posse do Conselho de Cultura eleito há dois anos. 

A reunião virtual terminou com alguns encaminhamentos que o Fórum pretende acompanhar de perto suas resoluções. São eles:

1º) Validar os nomes da representação da sociedade civil para compor comitê gestor. Nomes indicados pelo Fórum de Cultura em diversas reuniões ampliadas;

2º) Em caráter de urgência, decretar Comitê Gestor consultivo e deliberativo para participar da implementação ampla e democrática da Lei Aldir Blanc em Feira de Santana;

3º) Disponibilizar carro de som e comunicação em rádio como um verdadeiro mutirão para alcançar agentes culturais periféricos com dificuldade de acesso à internet, a fim de angariar o máximo de cadastros e beneficiários da Lei; 

4º) Disponibilizar um número de WhatsApp da SECEL e divulgá-lo amplamente como canal de comunicação entre o governo municipal e os agentes culturais, sobretudo os periféricos, para que possam tirar dúvidas e ter suporte a respeito do cadastramento e sobre a implementação da Lei. É fundamental que este canal seja administrado por pessoas devidamente treinadas para um atendimento apropriado e respeitoso;

5º) Cumprir agenda quinzenal de diálogos entre o secretário de cultura e a sociedade civil, durante a pademia pelo novo coronavírus.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial