UFRB e Feira das Mulheres Negras de Cachoeira lançam campanha no Dia da África

A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em parceria com a Feira das Mulheres Negas de Cachoeira, lançou uma campanha visando colaborar no combate à proliferação da Covid-19, especialmente nos municípios de Cachoeira e São Félix, que sediam o Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL). A campanha faz alusão ao Dia Mundial da África, comemorado no 25 de maio.

A parceria foi realizada em abril quando a diretora do CAHL, professora Dyane Brito, convidou para cooperar com os trabalhos a coordenadora do Bacharelado em Publicidade e Propaganda, professora Juciara Nogueira, e para consultoria a Gestora de Extensão, professora Sílvia Pereira. Ambas atuam em projetos que integram o Programa de Acompanhamento e Enfrentamento à CoVid-19 e, por este motivo, o material foi produzido dentro do projeto "Vozes Unidas pela Vida" que, de modo mais amplo, contempla outras participações. Para a professora Dyane Brito, “é de suma importância que possamos, em momento de tal gravidade, buscar ágeis soluções e estreitar os laços com representações dos variados segmentos da comunidade visando mediar, através de produtos específicos, suas mensagens tão necessárias para contribuir com a mudança de hábitos em prol da vida”.
Dão voz à campanha as seguintes lideranças: Ana Placidino - educadora, Ekedji do Ilê Asé Ifayabalé Já Kolé, coordenadora da Acbantu; Bárbara Nunes - presidente e artesã da Associação Chitarte; Consuelo Gonçalves - socióloga e ativista do Movimento Negro e de Mulheres Negras; Ileyldes dos Santos Conceição (Soe) - presidente da Associação de Feirantes do Mercado Municipal de Cachoeira; Mara da Ponte (Maria Abade) - presidente da Associação da Comunidade Quilombola do Engenho da Ponte, responsável pela articulação de Mulheres Negras no Quilombo Engenho da Ponte e coordenadora da Frente Quilombola do Movimento dos Pequenos Agricultores da Bahia e Adriana dos Santos Silva - bacharel em Administração de Empresas e uma das fundadoras da Feira e Cleide Moreira, secretária de Assistência Social que faz parte da comissão gestora da Feira como atual representante da Prefeitura de Cachoeira.
O material elaborado especificamente em parceria com a Feira das Mulheres Negras de Cachoeira é composto por quatro podcasts, cinco vídeos e gravação de cinco mensagens para carro de som, visando atingir também moradores de comunidades mais distantes, onde normalmente não há acesso à internet. A Prefeitura de Cachoeira formalizou parceria com o CAHL, disponibilizando horários de carro de som, visando somar esforços para tentar diminuir o impacto da pandemia sobre a população. Mara da Ponte, membro da comissão gestora da Feira, fez uma avaliação positiva da experiência: “a parceria com tem o objetivo de informar e transformar. Acredito que só através da informação seremos capazes de vencer este vírus e os meios de comunicação que estão sendo utilizados são muito adequados”.
Para a gestora de Extensão, professora Sílvia Pereira, “a parceria entre a UFRB e a Feira das Mulheres Negras de Cachoeira constitui relevante iniciativa para o fortalecimento de ações de extensão que dialoguem com demandas coletivas do território e da mobilização social em sua diversidade. No atual cenário da Pandemia da CoVid-19 e diante da necessidade de contenção do contágio, integrantes da Feira se unem com a Universidade visando colaborar para promover a saúde e construir novos hábitos voltados para a proteção da população de Cachoeira e São Félix, com ênfase nas comunidades tradicionais. Neste aspecto, é de fundamental importância a colaboração das rádios e outros meios de comunicação da região, visando a divulgação desta iniciativa e seus produtos".
A Feira das Mulheres Negras de Cachoeira teve duas edições no início de 2020 e envolve diretamente cerca de 30 mulheres, sendo que muitas integram coletivos também formados por mulheres que fazem parte de movimentos sociais, grupos que produzem artesanato, grupos vinculados à agricultura familiar e que produzem alimentos diversos. Ana Placidino, que também faz parte da comissão gestora da Feira, afirmou que “para os coletivos femininos que organizam a Feira das Mulheres Negras de Cachoeira a parceria com a UFRB para as ações de prevenção à CoVid-19 representa uma grande esperança. A maioria de nós vem de povos e comunidades tradicionais, da zona rural e da periferia da cidade. Nesta parceria encontramos o eco para nossas vozes se fazerem ouvir mais amplamente em nossas comunidades: fique em casa e salve vidas!”

UFRB

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial