Alunos produzem roteiros e curtas-metragens com o celular em Oficina de Vídeo no Pré-Flin

A facilidade do contato com dispositivos móveis despertou em Daiane Silva a ideia de ampliar o acesso a produções audiovisuais. A pedagoga e pesquisadora desenvolveu o projeto Contraplano, que teve sua primeira execução na quarta-feira (16), durante o Pré-Flin, no Colégio Estadual Edvaldo Brandão, em Cajazeiras. Durante dois dias, os alunos se apropriarão de linguagens do cinema para produzir pequenos roteiros e gravar curtas-metragens com o celular.

O primeiro dia é dedicado a uma exposição sobre as linguagens e possibilidades de criação no cinema, com elaboração de roteiro e exibição de filmes do cineasta Vinícius Eliziário. O jovem de 23 anos levou contribuições do seu processo de inserção no audiovisual e de produção dos seus roteiros. Já no segundo dia, os alunos farão um estudo de locações da escola para explorar os melhores lugares para gravação dos seus filmes.

Segundo Daiane, a ideia é que os alunos ressignifiquem os espaços da escola e visualizem caminhos que desenvolvam a imaginação e expandam o alcance dos seus saberes e sentimentos. “Dentro do universo da linguagem cinematográfica, gravar com o celular já é uma estética. Existem festivais de filmes produzidos com o celular. Então quero potencializar a criação deles e pensar no que a escola tem para estimular a imaginação e criação dos alunos”, disse.

Uma das alunas de 1º ano, Nalanda Catarina, de 15 anos, ficou muito interessada em conhecer um pouco sobre os bastidores do cinema e se inscreveu na oficina, querendo também iniciar suas pesquisas no jornalismo, profissão que pretende exercer. “Quero ser repórter de tv e, de alguma forma, o cinema se aproxima do jornalismo. Para mim é uma oportunidade de conhecer um pouco mais de como funciona esse mercado”, completou.

Essa semana as escolas Ana Bernardes e o Colégio Estadual Eduardo Bahiana também receberão oficinas formativas de projeção mapeada e de foto-poesia.

Pré-Flin – As oficinas seguem acontecendo até o início de novembro, com diversas atividades junto à comunidade local. Em outubro, ocorrem bate-papos e atividades educativas com crianças e adolescentes das escolas estaduais da região; oficina de foto-poesia e Campanha Leia e Passe Adiante, com distribuição de livros nas escolas. Além do aulão pré-ENEM sobre a História da Bahia na História do Brasil para jovens pré-vestibulandos.

Flin é abreviação do Festival Nacional Literário (Flin): Diversas Leituras & Novos Caminhos - projeto realizado pelo Governo do Estado da Bahia e coordenado pela Secretaria de Cultura (SecultBA), através da Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBA). O Festival conta com a parceria das secretarias de Administração (SAEB), através da Superintendência de Atendimento ao Cidadão (SAC); de Comunicação (SECOM); de Educação (SEC); de Meio Ambiente (SEMA); de Saúde (SESAB), através da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado da Bahia (HEMOBA); de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE), através do Serviço de Intermediação para o Trabalho (SINEBAHIA) e da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (SUDESB); de Políticas para as Mulheres (SPM); de Promoção da Igualdade Social (SEPROMI); de Tecnologia e Ciência (SECTI); de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), através da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (PROCON) e de Turismo (SETUR),através da Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa), além da Defensoria Pública do Estado da Bahia; da Empresa Gráfica da Bahia (EGBA), do Ministério Público do Estado da Bahia (MPBA) e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB).

Secult/BA

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial