Grupo Baiana Bossa faz show na inauguração do edifício Palácio de Buckingham


O edifício de alto padrão Palácio de Buckingham foi inaugurado na última quarta-feira (19), com show da banda Baiana Bossa. A convite do empresário Edson Piaggio que já conhecia o grupo e de outros condôminos, a banda levou para o palco uma homenagem aos 60 Anos de Bossa Nova.

"Tocar pra quem aprecia a música brasileira é sempre muito bom. Esse evento foi bastante significativo para nós porque nosso projeto nasceu justamente para dialogar com esse público mais exigente e que facilmente percebe o que estamos tocando. No repertório desse show, Dolores Duran, Chico Buarque, baianos como Caetano Veloso, Gilberto Gil e, claro que não poderia faltar, Tom Jobim, Carlos Lyra, Vinícius de Moraes e outros compositores interpretados por João Gilberto", explicou a cantora Lorena Porto.

O grupo é composto por mais três músicos de reconhecida competência: Anselmo Roberto (contrabaixo), Cesinha Miranda (bateria) e Cid Fiuza (guitarra). Essa é a formação original da Baiana Bossa que se mantem até hoje, passando por importantes eventos em Feira de Santana e região. Com produção do Culturasss, em 2017, a banda realizou diversos shows marcantes como aquele que inaugurou o palco do Cajueiro Convenções, antigo Clube de Campo Cajueiro, e o do Natal Encantado de Feira de Santana, onde tocaram nos palcos principais. Em 2018, o grupo foi convidado a participar do Seminário SEBRAE da Mulher Empreendedora, da 8ª Mostra SESC de Artes Aldeia Olhos D'Água, dentre outros eventos de grande relevância para a memória artística da região.

"Música de qualidade à altura do empreendimento e do evento. A Baiana Bossa foi a cereja do bolo", declara Jeneci Carvalho, engenheiro do edifício.

Sobre o edifício Palácio de Buckingham


Com projeto arquitetônico inovador assinado por Ana Cristina Monteiro, o edifício de alto padrão para residência vertical na cidade de Feira de Santana, Bahia, reúne tecnologia, requinte, beleza, luxo e exclusividade. O prédio foi construído pelas construtoras EPP Marinho, inspirado na atmosfera tradicionalista e, ao mesmo tempo, arrojada da cidade de Londres, na Inglaterra.

Segundo a arquiteta, como já existem vários empreendimentos usando a França como tema conceitual, tanto em Salvador quanto em outras capitais, o grupo responsável pelo empreendimento optou por não seguir o mesmo caminho. “Partimos para buscar inspiração em Londres, porque é um local que reúne, ao mesmo tempo, a tradição e a sofisticação da família real, como também a vanguarda nas artes, nos costumes e na arquitetura. Pensamos, então, que todos esses elementos casariam muito bem com a ideia de criar um projeto bem sofisticado, altamente moderno e sustentável”, define Ana Cristina. 

Ela conta, ainda, que, apesar do nome, o prédio não é uma releitura do estilo do palácio real londrino. “Viajamos a Londres para respirar um pouco a atmosfera da cidade e ver realmente como as pessoas usam os espaços, como são as cores, como empregam o conceito de sustentabilidade. Percebemos, então, a importância de uma harmonia no uso correto dos materiais. Vimos ali que a estrutura é, muitas vezes, um elemento responsável pela estética do trabalho. E foi isso que nos inspirou a criar um projeto diferenciado, que tivesse movimento, que começasse de uma maneira e terminasse de outra. Ao lado disso, utilizei como link da arquitetura inglesa clássica uma releitura do tradicionalíssimo tijolinho vitoriano”, explica a arquiteta.

Com 25 andares, sendo um apartamento de alto padrão por andar, o Palácio de Buckingham foi construído em um terreno de 4.335 metros quadrados, localizado no bairro Santa Mônica. “Quando a EPP decidiu sair da capital para atuar em Feira de Santana, ela veio com a proposta de trazer inovação no que diz respeito a equipamentos da área imobiliária. Foi assim com o Shopping Boulevard, com o Multiplace e com o Premier Feira. Agora, mais uma vez, resolvemos fazer um prédio que, além de tecnologicamente avançado, sirva de parâmetro para a cidade. Com esse intuito, reunimos um arquiteto, um especialista em acústica, um especialista em segurança e um especialista em sustentabilidade para tocar o projeto do Palácio de Buckingham, que se originou a partir do desejo do proprietário do terreno, Dr. Edson Paschoalin, e se consolidou com a disposição da EPP, da Marinho e dos demais parceiros de colocá-lo em prática”, enfatiza Edson Piaggio, da EPP Empreendimentos.

O empresário salienta que existem poucos prédios no Brasil do padrão do Palácio de Buckingham. Dentre as características que tornam o empreendimento um ícone de sofisticação, Edson Piaggio cita a alta tecnologia, empregada para oferecer total praticidade e conforto aos moradores. Em sua opinião, dentre os muitos recursos tecnológicos empreendidos nesse projeto, merecem destaque o sistema de identificação biométrica, tanto para acesso ao prédio quanto para acesso aos apartamentos; o sistema de monitoramento, com acesso, em tempo real, dos moradores a todos os sistemas de segurança; o elevador monta-carga, especial para transporte de compras, que vai da garagem diretamente para a área de serviço do morador; o sistema de vedação acústica em paredes, tetos e vidros; os elevadores com pé direito duplo, para a subida de móveis de grandes dimensões; e os carregadores para carros elétricos, antecipando a estimativa do mercado, que prevê a substituição de até 70% da frota de veículos comuns por carros elétricos em um prazo de dez anos.


Redação | Culturasss
Fotos | Lucas Brito

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial