MUSEU TEMPOSTAL PROMOVE PROGRAMAÇÃO ESPECIAL NO NOVEMBRO NEGRO


Em comemoração ao Novembro Negro, o Museu Tempostal que integra os espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), promove uma série de eventos durante o mês, com exposições, bate-papo e mesa-redonda. Todas as atividades são abertas ao público. 

Hoje (14), às 13h, aconteceu um bate-papo “Memórias Negras em Salvador” com os participantes José Carlos Ferreira, especialista em história Afro-Brasileira e Movimento Negro no século XX; Débora Luz, museóloga e mediadora cultural; e José Eduardo Santos, Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Até o dia 17 deste mês, acontece a apresentação em powerpoint "O negro na memória do Museu Tempostal". A mostra conta a história de oito personagens negras que influenciaram o seu tempo e que nos deixou de herança o seu conhecimento e a sua arte, entre as personalidades, está o escultor em madeira Agnaldo dos Santos; o escritor, artista plástico e sacerdote afro-brasileiro Mestre Didi; o pintor, escultor, gravador e professor brasileiro Rubem Valentim; a iyalorixá Olga do Alaketo; a iyalorixá Mãe Stella de Oxossi; o geógrafo Milton Santos; o professor de desenho geométrico, abolicionista e pesquisador Manoel Quirino e o advogado, escritor e abolicionista Luís Gama.

Ainda parte das comemorações, na terça-feira (20) às 14h, o bate-papo traz como tema: “A evolução dos personagens negros nas histórias em quadrinhos” com o Mestre em História, Sávio Roz. O museu também fará uma conversa com a socióloga e youtuber Rose Hapuque, sobre a representatividade negra na atualidade, na quarta-feira (21) às 14h. Já na quinta-feira (22), às 15h, acontece a mesa-redonda “Ancestralidade: efetividade x afetividade: o cuidar dos terreiros”, com o convidado Tiago Coutinho.

Museu Tempostal - O acervo do Museu Tempostal é composto por postais, estampas e fotografias, em sua maioria, procedentes da coleção de Antônio Marcelino do Nascimento. As peças, datadas do final do século XIX e meados do século XX, representam imagens de valor histórico, artístico e documental, não só da Bahia e do Brasil, mas também de diversos países do mundo, sobre as mais variadas temáticas. Administrado pela DIMUS/IPAC através da Secretária de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Serviço
Museu Tempostal – Programação Consciência Negra
Visitação: terça a sexta das 10h às 17h; sábado, das 13h às 17h.
Endereço: Rua Gregório de Mattos, 33, Pelourinho – Salvador (BA)
Aberto ao público
Mais informações (71) 3117-6383


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial